sexta-feira, março 28, 2008

Vira casaca ?!

Todo jornalista que cobre ou já cobriu a área política sabe que o que se fala hoje pode já não ser a mesma conversa de amanhã. O que um político anuncia agora, como decisão irrevogável, foi revogável há dois cafezinhos, após uma breve conferência com um colega ou falando em um celular na sala de chá do Senado, por exemplo.

Lembro de uma entrevista coletiva feita com o Collor, quando o seu desastrado plano já estava assinado, garantindo que a poupança dos brasileiros jamais seria mexida. Lembro de uma entrevista com o Lula, então apenas presidente do PT, nos anos 90, condenando o Proer, o plano de socorro dos bancos, como a mais "descarada cara de pau" do então Presidente FHC, de tirar dinheiro da classe média pra pagar a incompetência dos empresários.

Pois não é que o próprio Lula, há poucos dias, oferecia seu assessoramento ao governo Bush no socorro aos bancos americanos com o tão apedrejado Proer! De carrasco à senhor-propaganda. Eu posso com isso?

Mudar de opinião, algumas vezes, pode até ser saudável. Denota um certo despreendimento. Mostra um ser humano flexível. Descompromissado de radicalismos. Xô embotamento... Tudo bem. Agora, só não vale mudar de time. Lula sãopaulino? Sei lá, depois desta, tudo é possível. Não tão falando que o São Paulo já tem mais torcedores do que o Corínthians?...


Um comentário:

Pedro Porfirio (zeptz yang) disse...

Realmente o Lula citar o Proer foi uma absurdo.
Mas saiu um nova legislação americana que terá impactos interessantes e positivos no resto do Mundo.
Não no sentido de "ajudar" os donos de bancos que fazem falcatruas como aconteceu aqui mas de fiscalizar melhor complexo mercado financeiro.
Aguardemos as consequências.