segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Em nome dos espertos

O teu espaço termina onde começa o do outro. Quaaaaaaaantas vezes a gente já ouviu isto e quaaaaantas vezes a gente lembra desta expressão, ao sentir, a todo o momento, nossa individualidade descaradamente invadida! Seja pelo vizinho, pelo cachorro do vizinho, pelas autoridades constituídas e destituídas, pelos prepotentes, pelos religiosos fanáticos. Quantos metem o bedelho nos seus conceitos, como se fossem senhores e donos da verdade! Os pastores, os poodles, os pit-buls, os viralatas, os papas...

Tá certo, que a maior parte da população mundial nasceu pra ser liderada. Não porque esta maioria seja desinformada e aculturada. Não. Adultos, que passaram anos nos bancos de universidades, mestres em suas carreiras, exemplos pra seus filhos, peahgadês em suas atividades, não conseguem se livrar dos gens patriarcais, se portando sempre como filhinhos passivos, diante da postura dominante de um pai. Ainda que analfabeto! É da natureza humana (?) ... Freud explica.

Se não fosse desta forma, como analisar as milhares de religiões e seitas que prosperam há milhares de anos no mundo? Um líder religioso fala e os crentes baixam a cabeça. Apesar do ridículo de suas idéias e afirmações. Como o papa, por exemplo, que pediu ainda, ontem, respeito para as mulheres... Bebeu novamente ou teve outro ataque de esclerose...

Mas não foi ele, que disse, recentemente, que as mulheres tem que ser submissas? Que elas tem que abdicar de seus ideiais pra cuidarem do almoço e da roupa lavada de seus maridos? Não é ele o primeiro a concordar com a descarada e arrogante postura da igreja que aponta a impureza da mulher para impedir a sua eleição à liderança do catolicismo?

Em terra de cego, os déspotas fazem a festa e manipulam suas ovelhas, sem qualquer pudor. Os pré conceitos proliferam e são espalhados como se fossem leis. E utilizam a interpretação infantil da Bíblia como versão. Ignoram, por exemplo, o preceito básico do livro, que sugere "o amor ao próximo como a si mesmo".

Alôôôô? Alguém já viu um padreco ou pastor, ou pit-bul, ou rotweiller citar este mandamento de deus pra impedir o preconceito e a intolerância aos negros, homossexuais e outras minorias? Por falar nisso, onde está escrita a permissão ou a outorga para que alguém possa falar em nome de deus ou para que o represente na terra?

E deus é bobo? Ao contrário, já pensando nos filhos espertalhões, ele lascou, pra ficar bem registradinho: "Não usais o santo nome de deus em vão".

Nenhum comentário: